Você está em: Home » Notícias

 

Notica publicada em 29/08/13 às 10:40:54 hs

MAU ATENDIMENTO NO CONSULTÓRIO MÉDICO. O QUE FAZER?

Não há como evitar. Em algum momento da vida, nós precisamos ir ao médico para cuidar da saúde – seja por um problema pontual ou para fazer exames de rotina.
Não há como evitar. Em algum momento da vida, nós precisamos ir ao médico para cuidar da saúde – seja por um problema pontual ou para fazer exames de rotina.
 
Mas, independentemente do motivo, o que não pode é isso se transformar em uma dor de cabeça: dificuldade na hora de fazer o agendamento, longa espera no consultório ou mau atendimento.
 
Como a maioria dos pacientes não sabe como proceder em relação a esses problemas, fica difícil saber ao certo se o médico agiu corretamente no diagnóstico ou no seu acompanhamento.
 
Por isso, o Portal Vital foi a campo para identificar se estamos recebendo um bom atendimento.
 
Médico nota 10
 
Breno Figueiredo Gomes, membro da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, regional de Minas Gerais, formulou alguns pontos que caracterizam uma consulta de qualidade. Segundo o médico, é preciso atentar para os seguintes aspectos: 

 
  • O médico transmite segurança? 
  • Você ou a pessoa que está acompanhando foi examinada de acordo com as queixas apresentadas?
  • Todas as suas dúvidas foram esclarecidas satisfatoriamente? As informações fornecidas pelo profissional devem ser claras e objetivas a respeito da enfermidade em questão.
  • Você tem algum contato do especialista (telefone, e-mail, redes sociais etc.) caso seja necessário?
  • Não deixe de levar em consideração a pontualidade no atendimento. Esse é outro sinal de profissionalismo.
 
Faça a sua parte
 
Todos os comportamentos citados anteriormente são esperados de quem presta o atendimento, mas você também precisa colaborar: “Ser pontual, por exemplo, também é um dever do paciente; além disso, é fundamental realizar todos os exames pedidos e fazer uso das medicações prescritas corretamente. Só assim será possível chegar ao resultado esperado”, explica Gomes.
 

Confiar é o segredo
 
A aposentada Maria Paulina de Oliveira, de 70 anos, frequenta há seis o consultório da mesma médica para exames de rotina. “São consultas semestrais. Percebo o cuidado dela, pois sempre verifica a pressão, examina o ouvido, a garganta, está atenta à respiração, faz perguntas sobre a minha alimentação e não hesita em pedir exames caso tenha identificado algo fora do comum. Além disso, faço checkup anual e estou extremamente satisfeita com a minha saúde e com o atendimento que recebo”, declara.
 
Como reforça o médico Breno, “O bom relacionamento é muito importante: a segurança do paciente e o diálogo estabelecido com ele são fatores tão poderosos quanto os medicamentos. Isso simplifica o diagnóstico, o tratamento e, principalmente, a prevenção”, conclui.
 
Estou insatisfeita. A quem devo recorrer?
 
Segundo Selma do Amaral, diretora de Atendimento ao Consumidor do Procon – São Paulo, em alguns casos, a percepção dos serviços prestados pelos profissionais da saúde pode ser subjetiva. Por isso, qualquer insatisfação deve ser bem fundamentada.

 
“Os médicos são prestadores de serviço como qualquer outro profissional, mas avaliar as suas atuações é mais complicado porque, em geral, não trabalham com a obrigação de uma finalidade específica, exceto no caso dos cirurgiões plásticos”, afirma. 
 
Selma explica:
 
“Se você compra um móvel em uma marcenaria e ele não é entregue na data, pode reclamar os seus direitos com uma prova concreta de que o contrato de compra e venda não foi respeitado. Porém, a relação com o médico, normalmente, é diferente. Afinal, é mais complicado afirmar que o profissional da saúde deveria ter solicitado tal exame ou feito alguma pergunta específica durante a consulta”. 


Fonte: www.portalvital.com