Você está em: Home » Notícias

 

Notica publicada em 05/09/12 às 08:16:32 hs

Tenha cuidado com a fumaça!

Visando proteger principalmente a saúde do fumante passivo, a Lei Antifumo (em vigor a partir de 7 de agosto de 2009) proíbe o uso do cigarro em ambientes fechados coletivos em todo o Estado de São Paulo. Com isso, a regra procura ajudar a combater os malefícios do tabagismo e a preservar o direito de quem não fuma.

Visando proteger principalmente a saúde do fumante passivo, a Lei Antifumo (em vigor a partir de 7 de agosto de 2009) proíbe o uso do cigarro em ambientes fechados coletivos em todo o Estado de São Paulo. Com isso, a regra procura ajudar a combater os malefícios do tabagismo e a preservar o direito de quem não fuma.

                               
A lei não permite fumar em universidades, bares, casas noturnas, museus, táxis, ônibus, shoppings, restaurantes, lanchonetes, repartições públicas e condomínios, entre outros lugares fechados e de uso coletivo. Medidas similares já foram tomadas em cidades como Nova York, Buenos Aires e Paris.

                              
Fumantes passivos 
De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o fumo passivo é a terceira maior causa de mortes evitáveis no mundo. Só no Brasil, 2.655 não-fumantes morrem por ano, em decorrência de doenças provocadas pelo tabagismo passivo, segundo o estudo Mortalidade Atribuível ao Tabagismo Passivo na População Urbana do Brasil.

                                         
Esse dado deixa claro que mesmo quem não fuma pode sofrer sérias consequências por inalar a fumaça de outra pessoa. Entre os possíveis efeitos do fumo passivo na saúde de um adulto, estão o agravamento de problemas pulmonares, o entupimento e o enfraquecimento das artérias e o câncer de pulmão.

                                  
Em crianças, as consequências também são importantes: infecções respiratórias, maior tendência à asma, diminuição da capacidade pulmonar e efeitos danosos às artérias do coração são algumas delas. Além desses prejuízos à saúde, a criança que convive com adultos fumantes, em especial os pais, podem ser influenciados negativamente e virem a se tornarem fumantes na adolescência ou juventude.

                                          
O desafio de parar 
Que tal enxergar a Lei Antifumo como um incentivo para parar de fumar? Mesmo que você não more em São Paulo, sinta-se motivado a tomar essa atitude, sem esperar que os outros mudem por você.

                                  

Algumas dicas podem ajudar nessa empreitada. Veja:

                        

- Esteja determinado a parar de fumar. Não tenha dúvidas de que realmente quer isso; 
- Diminua a quantidade de cigarros por dia, para facilitar a adaptação para o dia em que parar, mas não faça disso uma forma de adiar a decisão. Estabeleça uma data em que você passará a ser um ex-fumante; 
- Quando começar a ficar ansioso por causa da abstinência, procure alguma distração: chame alguém para conversar, mantenha as mãos ocupadas com um papel para rabiscar ou mexa em algum objeto. 
Veja o que funciona com você;

- Em momentos difíceis e de nervosismo, procure se acalmar e pense que fumar não vai solucionar nada.

                                                                                  

Se não conseguir parar de fumar sozinho, busque orientação médica. Atualmente, há vários recursos da medicina que auxiliam nesse desafio. Quem já fuma há anos ou em grande quantidade pode sentir mais dificuldade de parar do que os fumantes de fim de semana ou que fumam eventualmente. Mas não se acomode. Muitas pessoas já conseguiram, você também é capaz de vencer o cigarro.



Fonte: www.unimedjpr.com.br